Perturbações do Espectro do Autismo: uma forma diferente de ver, ser e sentir o mundo

4 Ago

– 25 horas, creditadas pelo CCPFC


Data da Realização:

  • 14 e 21 de outubro: das 14h30 às 19h30
  • 15, 22 e 29 de outubro: das 09h00 às 14h00

FORMADORA

Maria Ângela Quintal de Freitas

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os grupos de recrutamento

METODOLOGIA

1. Exposição/Apresentação teórica e teórico/práticas.

2. Metodologia diversificada, privilegiando os métodos ativos centrados no envolvimento ativo (cognitivo e motivacional) dos formandos no processo de aprendizagem (ex.: brainstorming; dinâmicas de grupo; debates; reflexão partilhada; reflexão individual; trabalho de grupo e dramatizações).

2.1. Trabalho individual.

2.2. Trabalho a pares.

2.2.1. Partilha de pontos de vista e apresentação das conclusões.

2.3. Trabalho de grupo.

2.3.1. Discussão em pequeno e em grande grupo.

Nas sessões, a componente teórica, com recurso a metodologias expositivas com suporte de meios audiovisuais, irá alternar com a componente prática, onde serão apresentados, pela formadora, materiais práticos e bibliografia de apoio, para análise, reflexão conjunta e realização de trabalhos (utilização e produção de materiais de intervenção educativa, de acordo com a realidade concreta de cada formando).

OBJETIVOS (GERAIS/ESPECÍFICOS)

– Sensibilizar os docentes para as Perturbações do Espectro do Autismo (PEA);

– Fornecer aos docentes uma formação teórico-prática, valorizando os seus conhecimentos e experiência profissional e a aplicação prática dos conhecimentos científicos transmitidos.

– Melhorar o conhecimento dos docentes acerca da Tríade de Incapacidades dos alunos com PEA nomeadamente nas áreas da comunicação, da imaginação e da socialização.

– Promover a capacidade de elaborar planos de intervenção com estratégias adaptadas às dificuldades dos alunos com PEA.

– Desenvolver competências para identificar e aplicar estratégias pedagógicas diferenciadas ajustadas às reais necessidades educativas e às dificuldades específicas dos alunos com PEA promovendo a inclusão e o sucesso educativo destes alunos.

– Promover momentos de reflexão, partilha de conhecimentos e materiais e análise sobre a prática pedagógica;

– Possibilitar a mudança de práticas, para garantir a qualidade de intervenção e a rentabilização dos recursos.

CONTEÚDOS

 1. Introdução (30 min.)

 – Apresentação da formadora e dos formandos.

 – Apresentação e explicitação das modalidades de avaliação e dos conteúdos a abordar ao longo da formação.

 – Questões prévias fundamentais.

2. Perturbações do Espectro do Autismo (8 horas)

 – Definição

 – Etiologia

 – Causas, sintomas e sinais de alerta

 – Características gerais do comportamento autista

 – Critérios de diagnóstico (DSM-V)

 – Perturbações e características associadas – Características específicas da idade e género

 – A avaliação e a sinalização das PEA

 – Questionários e escalas utilizadas para o diagnóstico.

 – Necessidades educativas da pessoa com PEA desde a infância até à idade adulta

4. Estratégias de intervenção (pedagógica e comportamental) nas Perturbações do Espectro do Autismo (7h30)

 – Estratégias de intervenção precoce no Autismo;

 – Estratégias para a adaptação do aluno com autismo a um novo espaço;

 – Estratégias para a educação Pré-escolar;

 – Estratégias de intervenção para 1.º, 2.º, 3.º Ciclos;

 – Estratégias para promover as aprendizagens académicas;

 – Estratégias para a gestão da sala de aula e tarefas escolares;

 – Estratégias para o desenvolvimento da comunicação;

 – Estratégias para promover as competências sociais;

 – Estratégias para integrar alunos com PEA em grupos de brincadeiras;

 – Estratégias para ajudar a mudar comportamentos indesejados na sala de aula.

6. Trabalho prático final: Estudo de caso (7 horas)

  – Realização e apresentação do trabalho prático final de grupo

 Finalização (2 horas)

  – Conclusões, balanço das aprendizagens efetuadas e reflexão crítica final

 – Avaliação final da ação de formação e da formadora.

Número total de horas de formação: 25 horas

 AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua:

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

Os formandos serão ainda avaliados tendo em conta os seguintes parâmetros:

Trabalho individual: 35%

Trabalho de grupo: 25%

Intervenções pertinentes: 10%

Tarefas realizadas nas sessões: 15%

Empenho global na ação: 15%.»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.