Pensamento e raciocínio estatísticos para crianças

23 Fev

– 15 horas creditadas pelo CCPFC


Data da Realização:

Sessões presenciais (10 horas):

  • Dias 8 e 9 de março: das 14h30 às 19h30

Sessões assíncronas (5 horas): em horário a combinar com a formadora

FORMADOR

Sónia Alexandra Mendes Portela Bastos

DESTINATÁRIOS

Docentes da Educação Pré-escolar, do 1.º Ciclo e da Educação Especial

METODOLOGIA

As sessões serão de caráter teórico-prático, abordando os seguintes aspetos:

• Apresentação, análise e discussão dos conteúdos;

• Sugestão de algumas propostas de situações problemáticas e de atividades a implementar com os alunos relativos aos conteúdos trabalhados, tendo em conta a realidade envolvente;

• Reflexão sobre as tarefas implementadas com os alunos/educandos nas aulas, ou até em casa.

OBJETIVOS (GERAIS/ESPECÍFICOS)

– Fomentar a reflexão sobre os novos papéis e funções do professor no ensino da Matemática;

– Refletir sobre a importância do professor na construção de saberes e na valorização dos processos de raciocínio e de resolução de problemas;

– Desenvolver nos professores uma atitude favorável à utilização de diferentes atividades de caráter experimental assim como de diferentes materiais;

– Estimular e proporcionar aos professores um espaço de partilha e reflexão sobre experiências vividas na Matemática.

– Promover um aprofundamento dos conhecimentos matemático, didático e curricular dos professores;

– Promover o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas que envolvam o aluno na realização das tarefas e na construção de materiais;

– Favorecer a realização de experiências de desenvolvimento curricular em Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua condução e reflexão por parte dos professores envolvidos, apoiados pelos pares e formadores;

– Promover o desenvolvimento de práticas pedagógicas inovadoras;

– Criar dinâmicas de trabalho colaborativo entre os professores.

CONTEÚDOS

Os conteúdos programáticos a abordar respeitam dois grandes domínios:

a) O Programa de Matemática para o ensino básico; o Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória e as Aprendizagens Essenciais;

b) Os temas matemáticos.

O primeiro domínio apresenta o Programa de Matemática do Ensino Básico, nas suas diversas vertentes, bem como o Perfil dos Alunos à saída da escolaridade obrigatória e o estabelecimento de Aprendizagens Essenciais (AE).  As AE, enquanto elementos do Referencial Curricular, deverão caracterizar-se assim (a) pela riqueza e solidez dos conteúdos – os indispensáveis para a construção significativa do conhecimento próprio de cada disciplina – e (b) pela riqueza dos processos cognitivos a desenvolver nos alunos para a aquisição desses conhecimentos (1h).

O segundo domínio segue de perto os grandes temas propostos nos dois primeiros ciclos de ensino, bem como as capacidades transversais inerentes à aprendizagem da matemática.

– Organização e Tratamento de Dados-contextualização (1h).

– Leitura e interpretação de informação apresentada em tabelas e gráficos (3h).

– Classificação de dados utilizando diagramas de Venn, de Carroll de de caule-e-folhas (3h).

– Tabelas de frequências absolutas, gráficos de pontos e pictogramas (2h).

– Gráficos de barras, de pontos e circulares (2h).

– Moda e média; (2h).

Situações aleatórias (1h):

 – Resolução de problemas;

 – Comunicação matemática;

 – Raciocínio matemático.

 

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

            Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua:

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

Serão avaliados, ainda, os seguintes critérios:

– Participação Individual/Grupo – 40%

– Empenho – 30%

– Qualidade e adequação dos trabalhos desenvolvidos – 30%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.