Formas de Compreender a “Obra-de-Arte”

2 Mar

FORMADOR

Georgina Garrido

CALENDARIZAÇÃO

Dias 7, 14 e 21 de março: das 09h00 às 14h00

JUSTIFICAÇÃO

O Perfil do aluno para o século XXI, no Capítulo Visão, define que “o jovem, à saída da escolaridade obrigatória, seja um cidadão munido de múltiplas literacias”, “que reconheça a importância e o desafio oferecidos conjuntamente pelas Artes, pelas Humanidades e pela Ciência e a Tecnologia para a sustentabilidade social, cultural, económica e ambiental de Portugal e do mundo”.

Por outro lado, “A sensibilidade Estética e Artística” é uma das competências a privilegiar no mesmo documento.

Desta forma, torna-se necessário, para alcançar o Perfil do Aluno para o século XXI, dotar os docentes de conhecimentos e ferramentas que, no âmbito da sua disciplina, lhes permitam desenvolver atividades pedagógicas que preparem os alunos para os desafios do futuro, como cidadãos interventivos e ativos, conhecedores de múltiplas literacias.

Assim, consideramos de toda a pertinência a dinamização deste curso de formação, no qual se irá estudar a leitura da Obra de Arte nas suas diferentes vertentes, abordadas numa perspetiva histórica.

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os grupos disciplinares.

OBJETIVOS A ATINGIR

– Sensibilizar para as diversas funções da Obra-de-Arte.

– Sensibilizar para a importância da leitura de imagem na sala de aula.

– Desenvolver técnicas e formas de ver para traduzir a imagem em palavras.

– Descrever vários Elementos Comuns da Obra para a elaboração de fichas identificativas.

– Realizar diferentes tipos de análise objetiva ou visual, subjetiva ou simbólica, formal ou estética.

– Dotar o docente de conhecimentos ao nível da Composição da imagem.

– Dotar o docente do conhecimento dos princípios de organização da imagem, tanto a nível técnico, como de conteúdo, arranjo e forma.

– Dotar o docente de conhecimento da origem e da evolução da Composição nas diferentes épocas da História, distinguir o contributo das diferentes épocas, reconhecer estilos artísticos e contextualizar a Obra.

– Potenciar atividades para a sala de aula, que promovam a comunicação entre os alunos e o professor, com o intuito de alargar a leitura de imagem não só à expressão artística, mas também como complemento às diferentes unidades curriculares.

METODOLOGIA

Pretende-se cumprir o seguinte plano, valorizando, sempre o trabalho dos formandos:

  • Apresentação de diversos aspetos na Obra-de-Arte.
  • Análise de Obras-de-Arte de diversas épocas e estilos.
  • Partilha e debate de ideias e experiências.
  • Confronto com os programas lecionados.
  • Preparação para novos desafios e atividades.
  • Apresentação de algumas atividades e aspetos que potenciam a leitura de imagem.

CONTEÚDOS

15 Horas de formação teórica e prática, repartidas por 5 sessões de três horas cada. Todas com um forte suporte de imagem acompanhado com trabalho de grupo ou individual diário para avaliação do docente.

  1. Formas de ver a obra de arte (3 horas):
  2. Elementos Comuns de Identificação.
  3. Análise Objetiva ou visual.
  4. Análise subjetiva ou simbólica.
  5. Análise Formal ou Estética:
  6. Contexto Histórico (10 horas).
  7. Composição da Obra de Arte.
  8. Princípios de Organização (técnica, conteúdo, arranjo e forma).
  9. Origem da Composição e contributos da Pré-história; Arte Antiga: Egipto e Grécia; Arte Medieval: Românico e Gótico; Composição Clássica: Renascimento e Barroco; Séc. XIX: Romantismo, Impressionismo; Sec. XX: Fauves, Cubismo e Arte Abstrata.
  10. Ações práticas de leitura de diversas Obras-de-Arte: pintura, desenho, ilustração, etc (2 horas).

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

Os formandos serão avaliados diariamente de acordo com as atividades e os temas apresentados ao longo das sessões.

Será solicitada também uma análise escrita, individual de uma ou mais Obras-de-Arte, onde deverão ser utilizados alguns elementos apresentados ao longo das sessões.

  • Trabalhos efetuados ao longo das sessões – 50%
  • Trabalho individual  – 50%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.