Entre a avaliação formativa e a avaliação sumativa: Estratégias de ação pedagógica

2 Mar

FORMADORA

Fernanda Gouveia

CALENDARIZAÇÃO

Dia 6 de março: das 14h00 às 17h30;

Dias 7 e 14 de março: das 09h00 às 13h00;

Dia 13 de março: das 14h30 às 18h00

LOCAL
Escola Básica e Secundária com P/E da Calheta.

JUSTIFICAÇÃO

A avaliação, enquanto principal instrumento regulador do trabalho docente, reflete uma conceção de ensino-aprendizagem e um sistema de valores que justificam um trabalho de reflexão que permita uma coerência entre todos os atos pedagógicos, sendo fundamental garantir que estes cumpram o seu papel de regulação e de diferenciação do trabalho educativo (Lopes e Silva, 2012 & Fernandes, 2011

Por outro lado, o decreto-Lei n.º 55/2018 confere às escolas autonomia para dinamizar um trabalho pedagógico diferenciado e contextualizado, incluindo a avaliação das aprendizagens dos alunos, na medida em que faz parte integrante do processo de ensino e aprendizagem, porque os regula, visando melhorá-los (Cid, M. & Fialho, I., 2011).

Não obstante a predominância da avaliação formativa, a avaliação sumativa assume também uma importante função na conversão das aprendizagens essenciais em aprendizagens específicas, as quais materializam o que se espera como resultado da aprendizagem, integrando o conjunto de descritores de desempenhos observáveis, de acordo com o nível de consecução alcançado.

Este curso de formação emerge, assim, da necessidade de refletir sobre a Avaliação, seu significado e papéis diferenciados em função dos objetivos pretendidos em cada situação, considerando as duas modalidades de avaliação: sumativa e formativa.

DESTINATÁRIOS

Docentes dos Ensinos Básico e Secundário e Educação Especial.

METODOLOGIA

Esta ação de formação desenvolve-se com base numa articulação entre a prática e a teoria, sendo valorizados os contextos reais da prática pedagógica.

Por conseguinte a linha orientadora da ação de formação assenta nos seguintes processos:

  1.  Partilha das representações dos formandos acerca dos dois tipos de avaliação: formativa e sumativa;
  2. Análise teórica de alguns conceitos básicos para compreender os processos pedagógicos que fundamentam a avaliação das aprendizagens nos ensinos básico e secundário;
  3. Análise do enquadramento legal que sustenta as duas modalidades de avaliação;
  4. Trabalhos coletivos, em grupo e/ou a pares que visam a definição de critérios de avaliação (de realização e de desempenho), assim como de aprendizagens específicas baseadas em comportamentos observáveis;
  5. Debate coletivo acerca das dúvidas suscitadas nos trabalhos produzidos pelos pares e grupos;
  6. Reflexão e sistematização de alguns princípios pedagógicos que fundamentam as práticas de avaliação: síntese conclusiva.

CONTEÚDOS

  • Representações dos formandos acerca das práticas de avaliação por eles dinamizadas – 1h
  • Enquadramento legal e teórico que sustenta a avaliação das aprendizagens nos ensinos básico e secundário – 1h
  • Conceitos básicos pedagógicos que fundamentam a avaliação formativa e sumativa –  2h
  • Predominância da avaliação formativa como principal modalidade de avaliação: fundamentos, possibilidades de ação pedagógica; técnicas e instrumentos; critérios de realização – 4h
  • O papelda avaliação sumativa: fundamentos; possibilidades de ação pedagógica; técnicas e instrumentos; critérios de desempenho – 2h
  • Conversão de aprendizagens essenciais em aprendizagens específicas (perfis de aprendizagem), para cada ano ou ciclo de escolaridade/no âmbito de cada componente de formação, integrando descritores de desempenho, em consonância com as AE e as áreas de competências inscritas no PA. – 4h
  • Escalas associadas aos níveis de desempenho: definição e procedimentos, com vista à garantia de rigor no processo de avaliação sumativa – 2h

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

– Participação ativa nas sessões – 20%;

– Trabalho individual – Reflexão crítica acerca de alguns tópicos abordados na formação – 80%.

Inscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.