AS REDES SOCIAIS E A EDUCAÇÃO: UMA PARCERIA COM FUTURO?

20 Jan

13 horas validadas pela DRE

CARGA HORÁRIA

  • 12 de março: das 09h00 às 12h00;
  • 19 e 26 de março: das 09h00 às 14h00.

MODALIDADE

Presencial

FORMADORA

Joana Valente

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os grupos disciplinares

JUSTIFICAÇÃO

As Redes Sociais têm adquirido relevância nos últimos anos e tornaram-se o espaço mais utilizado pelos jovens nos seus tempos livres. Assim, numa escola cada vez mais digital, é importante fornecer aos professores ferramentas que lhes permitam continuar a motivar os alunos, nos diferentes palcos onde eles se encontram. No entanto, não podemos esquecer os perigos que se escondem atrás de um écran, por isso é imprescindível ter em conta os riscos inerentes à utilização dos diferentes espaços digitais, desenvolvendo estratégias de proteção, de forma a promover uma verdadeira cidadania digital.

Quando usadas com responsabilidade, as redes sociais podem ser um importante meio de partilharmos conhecimentos, divulgarmos informações, aprendermos e apoiarmo-nos, enquanto comunidade educativa.

É com estes princípios que nos propomos dinamizar esta formação, na qual se delinearão estratégias para a construção de recursos educativos, utilizando o potencial que as redes digitais podem ter no processo de ensino-aprendizagem como aliadas de uma educação em que todas as pessoas se sintam incluídas.

OBJETIVOS (GERAIS/ESPECÍFICOS)

  • Refletir sobre o papel das Redes Sociais na Escola de hoje.
  • Compreender o impacto das Redes Sociais na Comunidade Educativa em geral e nos alunos em particular.
  • Preparar uma educação digital segura e promotora de princípios cívicos e humanistas.
  • Explorar diversas Redes Sociais e perceber a eficácia pedagógica das mesmas.
  • Criar materiais ou conteúdos passíveis de ser utilizados em aula, na comunidade educativa ou como forma de divulgação e partilha de informação.

CONTEÚDOS

1. Uma Escola Digital como reflexo de uma Sociedade Digital.

1.1. Características da Escola Digital.

1.2. Motivar para utilização em segurança do espaço digital.

1.2.1. Estratégias de utilização segura.

1.2.2. Criação de espaços controlados pelos docentes.

2. Redes Sociais, uma realidade incontornável.

2.1. Os diferentes tipos de Redes Sociais: funções e objetivos:

– facebook: socialização e divulgação de informação em diferentes formatos;

– instagram: partilha de imagens e vídeos;

– WhatsApp: conversas em grupo e partilha de informações em diferentes formatos;

(…)

3. O desafio de ser um “Professor 2.0”

3.1. As variantes pedagógicas a ter em conta neste desafio.

3.1.1. Atividades e estratégias digitais adequadas ao tipo de conteúdo pedagógico a lecionar.

3.2. Como adaptar os conteúdos de cada disciplina ao ritmo exigido pela internet e à responsabilidade cívica dos intervenientes.

4. Produção de conteúdos digitais.

4.1 Exploração de diversas ferramentas: criação de designs, edição de vídeo, etc.

METODOLOGIA DA FORMAÇÃO

A dinamização desta formação será feita através de sessões teórico-práticas, com exposição de conteúdos associados a atividades práticas.

Pretende-se que, no final da formação, os formandos possam criar um conteúdos digital, que seja pertinente para a lecionação da sua disciplina, mas em relação ao qual sejam cumpridas todas as normas de segurança.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será individual, qualitativa e quantitativa, expressa numa escala numérica de 1 a 10 valores, nos termos previstos na Carta Circular CCPFC – 3/2007, de setembro de 2007, do Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua, com a seguinte classificação de referência:

1 a 4,9 valores – Insuficiente

5 a 6,4 valores – Regular

6,5 a 7,9 valores – Bom

8 a 8,9 valores – Muito Bom

9 a 10 valores – Excelente

A avaliação contemplará:

 – Participação e empenho nas sessões presenciais: iniciativa, espírito crítico e integração no grupo (10%).

 – Trabalhos de grupo/individuais, ao longo das sessões: correção linguística, espírito crítico, originalidade e adequação às temáticas

(20%).

 – Trabalho final individual (70%):

– criação de um conteúdo digital adequado à disciplina e ano de escolaridade, a ser dinamizado através de uma rede social: competências técnicas adquiridas; adequação pedagógica e estratégias de segurança utilizadas.

BIBLIOGRAFIA

*Miranda Júnior, Jaime (2013). Redes Sociais e a Educação. Florianópolis: Instituto Federal Santa Catarina

*Patrão, Ivone (2016). #GeraçãoCordão: a geração que não desliga! Lisboa: PACTOR

*Raminhos, Ana Marta (2020). A utilização das Redes Sociais no Processo de Ensino e Aprendizagem. Escola Superior de

Educação de Lisboa.

*Reis, Carina Domingues (2014). Facebook: Professores, Crianças e Jovens na Rede. Universidade do Minho.

*Souza, Victor Batista (2014). Redes Sociais e Educação: um diálogo possível. Universidade Estadual da Paraíba.

Inscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.