Matemática no Pré-Escolar: para além dos números

6 Dez

– 15 horas, em processo de acreditação pelo CCPFC

Data da Realização

Dias 6, 7 e 13 de janeiro: das 14h30 às 18h30;

Dia 14 de janeiro: das 14h30 às 17h30.

FORMADORA

Inês Ferraz

LOCAL

Sede do SPM

DESTINATÁRIOS

Docentes dos grupos, 100, 100EE, 110, 110EE e 700EE.

RAZÕES JUSTIFICATIVAS

As Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar (2016) integram “Um conjunto de princípios gerais e organizados para serem utilizados pelo educador para tomar decisões sobre a sua prática, ou seja, planear e avaliar o processo educativo a desenvolver com as crianças” (p. 13).

No âmbito da matemática, estas orientações incidem principalmente sobre o desenvolvimento do sentido de número, da organização de dados, da geometria e da medida.

Sabemos que o desenvolvimento matemático nos primeiros anos de vida é fundamental e que o sucesso das aprendizagens futuras depende da qualidade das experiências proporcionadas às crianças.

Desta forma, o educador de infância tem um papel importante no modo como as crianças vão construindo a sua relação com a matemática. Esta disciplina está presente nas suas brincadeiras, que devem ser incentivadas, pois aproveitar as experiências anteriores das crianças e as oportunidades que ocorrem naturalmente é crucial, tendo em conta que a aprendizagem matemática mais significativa resulta das experiências e do contacto com os materiais que interessam às crianças,

Por tudo o que foi anteriormente exposto, consideramos que se justifica a realização desta formação, ao longo da qual se pretende dotar os docentes de ferramentas pedagógicas que facilitem a aquisição das competências matemáticas por parte das crianças, respeitando os seus estádios de desenvolvimentos.

OBJETIVOS A ATINGIR

Objetivos gerais:

– Conhecer a função do professor no ensino da matemática;

– Consciencializar os docentes para o seu papel na construção de saberes, nos processos de raciocínio e de resolução de problemas;

– Munir os docentes de ferramentas que lhes permitam utilizar diferentes materiais e realizar diferentes atividades para fomentar o raciocínio matemático;

– Partilhar experiências vividas na área da matemática e refletir sobre estas experiências;

– Promover o desenvolvimento de práticas pedagógicas inovadoras;

– Distinguir os conceitos: números, organização dados e geometria;

– Compreender a importância de trabalhar o sentido dos números, a organização de dados e a geometria com as crianças em idade Pré-Escolar.

Objetivos específicos:

– Desenvolver a linguagem matemática;

– Despertar o sentido de número no pré-escolar;

– Propor desafios com sequências de números;

– Conhecer estratégias para desenvolver o sentido dos números;

– Fomentar a capacidade de estabelecer relações numéricas estimulando o cálculo mental;

– Desenvolver nas crianças a capacidade de organizar e tratar dados;

– Incrementar a capacidade de recolher, organizar e tratar dados;

– Estimular a recolha e organização de dados recorrendo a diferentes representações;

– Proporcionar às crianças experiências de comparar e ordenar objetos segundo as suas propriedades e caraterísticas.

METODOLOGIA

As sessões de formação terão uma modalidade teórico/práticas. As sessões teóricas serão sustentadas pela exposição da fundamentação teórica atualizada referente ao tema da formação e na modalidade prática, os formandos poderão experienciar tarefas diversificadas lúdicas, quer individualmente, quer em trabalhos de grupo em interação com os restantes formandos.

CONTEÚDOS

  1. A Matemática no Pré-Escolar
    1. Fundamentação teórica e científica dos conceitos subjacentes à matemática – (2 horas)
    1. Competências matemáticas que as crianças devem adquirir no Pré-Escolar – (2 horas)
  • Aprendizagem da Matemática

2.1. Competência matemática a desenvolver: Números e Operações – (2 horas)

2.1.1. Atividades que promovem o Sentido de Número

2.2. Competência matemática a desenvolver: Organização e Tratamento de dados – (2 horas)

2.2.1. Atividades que facilitam a organização e tratamento de dados

2.3. Competência matemática a desenvolver: Geometria e Medida – (2 horas)

2.3.1. Atividades que promovem a geometria

2.3.2. Atividades que promovem a medida

3. Motivação para a matemática – (3 horas)

3.1. O que os professores precisam de saber sobre a matemática

3.2. Facilitadores da aprendizagem da matemática

3.3. Práticas pedagógicas que estimulam o raciocínio matemático

4. Reflexão sobre a importância e o benefício do desenvolvimento das competências matemáticas – (2 horas)

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será individual, qualitativa e quantitativa, expressa numa escala numérica de 1 a 10 valores, nos termos previstos na Carta Circular CCPFC – 3/2007, de setembro de 2007, do Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua e com base nos seguintes critérios: 

«Excelente – de 9 a 10 valores;

  Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

  Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

  Regular – de 5 a 6.4 valores;

  Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

– Participações e intervenções pertinentes – 30%

– Tarefas realizadas nas sessões – 40%

– Trabalho individual – 30%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.