COMO PROMOVER A LITERACIA AMBIENTAL?

29 Abr

FORMAÇÃO CREDITADA PELO CCPFC

CARGA HORÁRIA

25 horas

MODALIDADE

B-learning

FORMADOR

HÉLDER SPÍNOLA

JUSTIFICAÇÃO

As escolas da Região Autónoma da Madeira, quer através dos planos curriculares quer de projetos extracurriculares, têm vindo a desenvolver um esforço crescente na educação ambiental dos seus alunos. O programa Eco-Escolas da Associação Bandeira Azul da Europa tem sido a face mais visível da afirmação da Educação Ambiental como uma componente importante da atividade e dinâmica das escolas da Madeira e Porto Santo. Tendo em conta este esforço e os inúmeros professores envolvidos e empenhados neste desafio, a disponibilização de uma ação de formação vocacionada para a melhoria das estratégias e metodologias de Educação Ambiental, assim como da avaliação dos seus resultados, no que diz respeito ao seu objetivo primeiro, a promoção da Literacia Ambiental, será de grande utilidade e interesse para os docentes e escolas da Região Autónoma da Madeira.

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os grupos disciplinares

CONTEÚDOS

  1. Introdução ao desafio da sustentabilidade (5 horas).

       a1. A crise ecológica

       a2. Problemas ambientais globais

       a3. Conceitos de sustentabilidade e ambiente

  • Temáticas ambientais (7 horas).

b1. Desafios e boas práticas na gestão de resíduos,

b2. Desafios e boas práticas na gestão dos recursos hídricos

b3. Desafios e boas práticas na gestão da energia

b4. Desafios e boas práticas na conservação da biodiversidade

  • Literacia Ambiental: compreender e avaliar (6 horas).

c1. O conceito de literacia ambiental

c2. Aspetos que influenciam a literacia ambiental

c3. Metodologias de avaliação da literacia ambiental

  • Metodologias de Educação Ambiental: Teoria e casos práticos (7 horas).

d1. Importância da aprendizagem em contextos socioculturais reais.

d2. Exemplos práticos de abordagens para a educação ambiental.

d3. Estrutura de um projeto de educação ambiental.

             d4. Elaboração de um projeto de educação ambiental

METODOLOGIA DA FORMAÇÃO

A formação recorrerá a metodologias expositivas acompanhadas de apresentações em powerpoint e intercaladas com exercícios de reflexão crítica, partilha de experiências por parte do formador e dos formandos, e desenvolvimento de exercícios práticos de aplicação dos conhecimentos, em aulas de tipologia teórica e teórico/prática.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação será individual, qualitativa e quantitativa, expressa numa escala numérica de 1 a 10 valores, nos termos previstos na Carta Circular CCPFC – 3/2007, de setembro de 2007, do Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua e com base nos seguintes critérios:

«Excelente – de 9 a 10 valores;

     Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

     Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

     Regular – de 5 a 6.4 valores;

     Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

Trabalho de grupo: conceção de um projeto de educação ambiental

Relatório individual final produzido.

BIBLIOGRAFIA

Hélder Spínola (2015). Environmental literacy in 9th grade students from Madeira Island (Portugal). The Online Journal of New Horizons in Education, 5 (4): 28-36.

Hélder Spínola (2015). Environmental literacy comparison between students taught in Eco-schools and ordinary schools in Madeira Island region of Portugal. Science Education International, 26 (3): 392-413.

Hélder Spínola. (2015). A Literacia Ambiental numa Escola sem Muros. In: Fraga, N.S. & Kot-Kottecki, A.F. (org.). A Escola Restante. Pp 132-145. CIE-UMa. Funchal. ISBN 978-989-95857-6-8.

Hélder Spínola (2014). Forty years of environmental education in the Portuguese Democracy. The Online Journal of New Horizons in Education, 4 (3): 47-55.

Hélder Spínola, Idalina Perestrelo Luís, Filipa Alves, Sandra Oliveira e Vanda Marques. (2011). Ambiente para Jovens: Aprender e Aplicar. Editora Educação Nacional, Vila Nova de Gaia. ISBN: 978-972-659-564-9.

Inscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.