Como gerir comportamentos em contexto escolar, na esteira do perfil do aluno ao terminar a escolaridade obrigatória

15 Out

15 horas validadas pela DRE

DATA DA REALIZAÇÃO:

  • 25 de setembro e 2 de outubro: das 14h30 às 18h30;
  • 3 de outubro e 10 de outubro: das 09h00 às 12h30.

FORMADORA

Susana Gonçalves

DESTINATÁRIOS

 Docentes de todos os grupos disciplinares

METODOLOGIA

Ao longo das sessões será adotada uma metodologia teórico-prática.

A componente teórica (com recurso a metodologias expositivas e a suportes de meios audiovisuais) irá alternar com a componente prática, na qual serão apresentados, pela formadora, materiais práticos e bibliografia de apoio, para análise, reflexão conjunta e realização de trabalhos (utilização e produção de materiais de intervenção educativa, de acordo com a realidade concreta de cada formando).

Serão privilegiados os métodos centrados no envolvimento ativo (cognitivo e motivacional) dos formandos no processo de aprendizagem (ex.: brainstorming; dinâmicas de grupo; debates; reflexão partilhada; reflexão individual; trabalho de grupo e dramatizações).

CONTEÚDOS

 1. Apresentação da formadora e dos formandos, explicitação das modalidades de avaliação e dos conteúdos a abordar ao longo da formação. (30m)

2. Expetativas dos formandos em relação à formação e reflexão e discussão sobre o conceito de indisciplina. (30m)

3. Génese, causas e manutenção de comportamentos indisciplinados. (30m)

4. Problemas vs perturbações do comportamento. (1hora)

5. Incidentes críticos. (1 hora)

5.1. Discussão de casos.

6. Capacitação de professores (1 hora)

6.1. Competências de comunicação

7. Capacitar alunos para o sucesso escolar e educativo (2 horas)

7.1. Avaliação de fatores comportamentais /Perfis de alunos em risco

7.2. Avaliação neuropsicológica sumária

7.3. Avaliação da leitura, escrita e cálculo

8. Plano de intervenção (2 horas)

9. Intervenção: o paradigma da atuação baseada na evidência (6 horas 30m)

9.1. Gestão de reforços e punições

9.2. Contrato comportamental

9.3. Treino de auto – instrução

9.4. Resolução de problemas

9.5. Debate de crenças

9.6. Entrevista motivacional

9.7. Role – play e inversão de papéis

9.8. Treino de competências sociais

9.9. Gestão da crítica / treino do controlo da cólera

10. Formulação de caso

11. Encaminhamentos

12. Avaliação da ação. Conclusão.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico

Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

A avaliação será realizada com base nos seguintes critérios:

*participação: iniciativa, espírito crítico e integração no grupo (20%)

*execução de trabalhos individuais e/ou em grupo, ao longo da formação: qualidade dos trabalhos e adequação às temáticas (40%)

*trabalho individual final: qualidade do trabalho, espírito crítico e adequação às temáticas (40%)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.