Pedagogia Diferenciada na sala de aula: Contributos para a Operacionalização da Autonomia e Flexibilidade Curricular

12 Nov

Creditada pelo CCPFC – 15 horas

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO                         

Pedagogia Diferenciada na Sala de Aula: Contributos para a Operacionalização da Autonomia e Flexibilidade Curricular

FORMADOR

Fernanda Gouveia

LOCAL

Sede do SPM – Calçada da Cabouqueira, nº22

CALENDARIZAÇÃO

Dias 7 e 14 de fevereiro: das 14h00 às 18h00;

Dias 8 e 15 de fevereiro: das 09h00 às 13h00.

JUSTIFICAÇÃO

Na escola atual, impõe-se uma redefinição de papéis dos professores e dos alunos. Desta forma, importa fazer uma análise ponderada acerca da forma como se ensina e colocar em prática processos de gestão autónoma e flexível do currículo, que permitam uma pedagogia diferenciada, considerando as especificidades de cada contexto escolar,

Apesar do quadro legislativo favorável e da tomada de consciência desta necessidade, constata-se ainda a existência de fragilidades e constrangimentos nesta matéria, justificando-se o desenvolvimento da presente Ação de Formação, que visa contribuir para a abertura de novos caminhos conducentes à construção de ambientes educativos promotores de aprendizagens significativas para todos os alunos, sem exceção.

DESTINATÁRIOS

Docentes dos Ensinos Básico e Secundário

METODOLOGIA

Esta ação de formação assenta na trialética: prática – teoria – prática, tendo como referência os contextos reais em que os formandos desenvolvem as suas práticas, de acordo com os momentos de trabalho:

1º Reflexão conjunta, sobre as representações dos formandos acerca da diferenciação pedagógica;

2º Esclarecimentos diretos e sistematização de conteúdos, pressupostos teóricos e temáticas subjacentes à temática em análise;

3º Análise de práticas e levantamento de problemas inerentes à sua operacionalização, face aos contextos escolares e às características das crianças;

4º Reflexão, em pequeno grupo e em grande grupo, sobre as práticas, com base nos suportes teóricos apreendidos;

5º Trabalhos de grupo que visam a resolução de situações problemáticas e as fragilidades emergentes, que pressupõem práticas diferenciadas;

6º Apresentação e debate dos trabalhos produzidos por cada grupo;

7º Sistematização de alguns princípios pedagógicas que fundamentam as práticas: síntese conclusiva.

CONTEÚDOS

  1. Representações, conceitos e mitos sobre a diferenciação pedagógica – 2 h
  2. Exploração das representações dos formandos acerca da pedagogia diferenciada;
  3. Confronto com a fundamentação teórica e legal que justifica a implementação de práticas pedagógicas diferenciadas;
  4. Conceitos de diferenciação pedagógica.
  1. O binómio ensino-aprendizagem: questões e desafios – 2h
  2. O papel do docente na construção de ambientes construtivistas facilitadores das aprendizagens;
  3. Os efeitos de uma ação educativa qualificada na aprendizagem;
  4. Os fatores que o docente pode ou não influenciar e/ou determinar na promoção de aprendizagens significativas;
  5. Aprendizagens significativas: alguns princípios e fundamentos epistemológicos.
  1. Propostas de ação pedagógica diferenciada para implementar na sala de aula – 6h
  2. Gestão do espaço, dos materiais e dos tempos de trabalho;
  3. Utilização de diferentes tipos de agrupamentos de alunos: coletivo, individual, em pares e em grupo;
  4. Aprendizagem cooperativa: procedimentos de implementação;
  5. Estratégias de intervenção para alunos altamente competentes e com dificuldades de aprendizagem;
  6. Trabalho autónomo na sala de aula;
  7. Instrumentos de apoio e de pilotagem/regulação na sala de aula: planificação, avaliação reguladora, guiões de trabalho e ficheiros;
  8. Planificação do trabalho pedagógico em função de três fatores: nível de preparação, motivação e perfis de aprendizagem;
  9. Gestão pedagógica diferenciada de três elementos curriculares: conteúdos, processos e produtos;
  10. Regras práticas de um ensino diferenciado: sistematização de alguns princípios e procedimentos que possibilitam a implementação de práticas pedagógicas diferenciadas.
  1. O significado e o papel da avaliação das aprendizagens – 1h
  2. Componente chave da avaliação formativa;
  3. Sugestões para uma implementação eficaz da avaliação formativa, em detrimento do uso exclusivo da avaliação de caráter classificativo.
  1. Discussão de casos emergentes dos contextos educativos reais do quotidiano dos formandos.4h
  2. Trabalhos em grupo: construção de estratégias pedagógicas diferenciadas em função das problemáticas que caraterizam cada caso em estudo;
  3. Discussão, reflexão e análise crítica das estratégias delineadas.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

– Participação ativa nas sessões – 20%;

– Trabalho individual – Reflexão crítica acerca de alguns tópicos abordados na formação – 80%.

Inscrições: a partir de 18 novembro, por telefone (291 206 360) ou online aqui!

Seleção até 24 de janeiro

Critérios de seleção:

  • 1.º sócios do SPM
  • 2.º não sócios  30€ (mediante vaga)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.