A articulação da Cidadania Global com o Currículo – Estratégias para uma Educação Transformadora

23 Out

– Frequência gratuita | Formação financiada –

Na agenda mundial foram adotados os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) que desafiam os cidadãos a atingirem 17 metas, até 2030. O ODS 4.7 estabelece que os países deverão “garantir que todos os alunos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, inclusive, entre outros, por meio da educação para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida sustentáveis, direitos humanos, igualdade de género, promoção de uma cultura de paz e não-violência, cidadania global e valorização da diversidade cultural (…)” (ONU, 2015). Em Portugal, a promoção da Cidadania Global é enquadrada na Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania e na Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento.

A presente ação enquadra-se no projeto “Educar para Cooperar – Porto Santo e Madeira” que tem como objetivo específico sensibilizar, empoderar e capacitar crianças, jovens, adultos e Organizações da Sociedade Civil das ilhas do Porto Santo e Madeira para a mobilização em torno do Desenvolvimento Sustentável, da Cooperação entre Povos e Culturas e dos Direitos Humanos, através do cinema, de tertúlias, do desenvolvimento de projetos, da formação e da construção de recursos que ligam a História dos (Re)Descobrimentos à Cidadania Global. O projeto é promovido pela ONGD AIDGLOBAL (www.aidglobal.org) e cofinanciado pelo Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., tendo como parceiros a Câmara Municipal do Porto Santo, a Direção Regional para a Administração Pública do Porto Santo e o Sindicato dos Professores da Madeira.

Objetivos    
  • Sensibilizar para a promoção do Desenvolvimento Sustentável e dos Direitos Humanos no contexto da Educação para o Desenvolvimento (ED);
  • Refletir sobre as causas dos problemas associados ao desenvolvimento e às desigualdades locais e globais (Alterações Climáticas, Pobreza, Migrações forçadas,…);
  • Refletir acerca das diferentes formas de participação cívica na sociedade e do papel dos alunos na promoção de um desenvolvimento mais sustentável e equitativo;
  • Identificar e aplicar métodos participativos no contexto da sala de aula;
  • Facilitar a criação e implementação de micro-projetos desenvolvidos por alunos que visem a promoção da Cidadania Global e a transformação social, em articulação com os conteúdos das disciplinas.
Conteúdos Programáticos    

Sessões presenciais:

– Desenvolvimento (In)Sustentável (2h);

– Desigualdades sociais locais e globais num mundo interdependente (2h);

– Paz e Direitos Humanos (2h);

– Educação para o Desenvolvimento – enquadramento, conceitos, recursos e ferramentas (2h);

– Educação Transformadora (1h);

– Métodos participativos em sala de aula (1h);

– Estratégias de Participação e Cidadania Global na sociedade (2h);

– Articulação dos conteúdos do currículo com os temas de ED (3h);

– Criação e implementação de micro-projetos que visem a promoção da Cidadania Global e a transformação social, em articulação com os conteúdos das disciplinas (5h);

– Reflexão conjunta sobre o trabalho produzido e avaliação (5h).

Sessões não presenciais:

– Em sala de aula, diagnosticar os interesses dos alunos relativos a preocupações sociais e ambientais (1h);

– Em sala de aula, facilitar o desenvolvimento de micro-projetos ou ações de Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global por parte dos alunos, e acompanhar a sua implementação (8h);

– Identificar uma tarefa/desafio de articulação curricular para cada micro-projeto ou ação de Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global, consoante a disciplina de cada docente, associado ao tema do projeto (Ex. se o tema do(s) aluno(s) é a pobreza e a disciplina do docente a matemática, pedir para calcular qual a % de população que vive nessa condição no Município) (8h);

– Resumo dos resultados dos micro-projetos ou ações Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global realizados pelos alunos (8h).

Destinatários    

Professores do 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico | Professores de Educação Especial | Professores do Ensino Secundário.

Local, Datas e Duração    

Local: Sede do SPM – Calçada da Cabouqueira, 22.

Datas/Horário:

22/11: 16h00 às 20h00 (4 horas) sexta-feira;

23/11: 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h30 (8h50 horas) sábado;

25/11: 16h00 às 20h00 (4 horas) segunda-feira;

02/12: 16h00 às 20h00 (4 horas) segunda-feira;

18/04: 09h00 às 13h30 (4h50 horas) sábado

Duração: 25h com sessões presenciais e 25h de trabalho autónomo, totalizando 50h.

Acreditação    

A formação é acreditada e serão concedidos dois créditos.

Formadores e convidados    

Formadora

Susana Damasceno – Fundadora da AIDGLOBAL e Presidente da Direção desta ONGD, é especialista em Cooperação para o Desenvolvimento, pós-graduada em Ensino de Português como Língua Não Materna e licenciada em Educação Básica e em Estudos Portugueses e Lusófonos. Tem mais de 13 anos de experiência na gestão de programas de Cooperação para o Desenvolvimento, em particular, em Moçambique, e de Educação para a Cidadania Global.

Facilitadora convidada

Sofia Lopes – pós-graduada em “Recursos, Materiais e Projetos de Educação para o Desenvolvimento” pela Universidade de Barcelona, trabalha em Educação para a Cidadania Global desde 2008, desenvolvendo projetos com escolas, municípios, associações juvenis e outras organizações da sociedade civil. É gestora de projetos de Cidadania Global e de Inclusão Social na ONGD AIDGLOBAL desde 2012, formadora e coautora de manuais pedagógicos.

Avaliação    

A avaliação será individual, qualitativa e quantitativa, expressa numa escala numérica de 1 a 10 valores, nos termos previstos na Carta Circular CCPFC – 3/2007, de setembro de 2007, do Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua e com base nos seguintes critérios: 

Os formandos têm de assistir a 75% do nº total de horas da ação, participar ativamente durante as sessões presenciais e realizar o trabalho final de aplicação de conteúdos.

A avaliação será entre 0 e 10 e pontuará os seguintes fatores:

  • Qualidade da participação durante as horas presenciais – 20% valores;
  • Tarefas das sessões 30% valores;
  • Trabalho de projeto – 40% valores;
  • Entrega de relatório formativo com uma reflexão crítica sobre a ação -10% valor.

O trabalho de projeto deve ir ao encontro dos seguintes critérios: ser aplicado numa turma e consistir na facilitação do desenvolvimento de micro-projetos ou ações de Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global por parte dos alunos, e no acompanhamento da implementação dessas mesmas iniciativas. O docente deve ser capaz de identificar e atribuir ao(s) aluno(s) uma tarefa/desafio de articulação curricular para cada micro-projeto ou ação de Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global, consoante a sua disciplina.

O relatório formativo deverá refletir a apropriação das aprendizagens resultantes da oficina de formação, além de integrar a reflexão crítica da ação no que diz respeito aos conteúdos e a sua adequação ao contexto.

As classificações finais serão atribuídas de acordo com a seguinte avaliação:

  • Insuficiente – 0 a 4,9;
  • Suficiente – 5 a 6,4;
  • Bom – 6,5 a 7,9;
  • Muito Bom – 8 a 8,9;
  • Excelente – 9 a 10.
Inscrições    

Datas: a partir do dia 23 de outubro, por telefone (291 206 360) ou online (aqui)

Critérios de prioridade na inscrição:

– Docentes associados do SPM.

Bibliografia fundamental    

– Direção-geral da Educação (2013) – “Educação para a Cidadania – linhas orientadoras”. Lisboa;

– GENE (2014) – “Global Education in Portugal”.

– Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Educação – (ENED) “Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015)”, Despacho n.º 25931/2009, publicado na edição do Diário da República, II Série, 26 de novembro de 2009.

– Ministério da Educação, 2017, “Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória”;

– Ministério da Educação, 2017, “Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania”;

– ONU, “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. (Trad. Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil), 2015;

– TEODORO, António – “Professores, para quê?”, Profedições, Porto, 2006.

Inscrições Online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.