Problemas correntes da Língua Portuguesa: curso prático para professores

12 Jun

Data da Realização

Dias 8 e 9 de julho: das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00;

Dia 10 de julho: das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00.

FORMADORA

Francisco Oliveira

JUSTIFICAÇÃO

As exigências profissionais dos docentes, nomeadamente as rotinas de planificação e preparação de aulas, elaboração e correção de testes, controlo dos trabalhos de casa e o preenchimento de um sem fim de documentos burocráticos, tem levado os professores da maioria dos grupos disciplinares a relegar para um plano secundaríssimo a atenção prestada à importância da nossa Língua na escola. No entanto, quando têm de redigir documentos oficiais, como atas, relatórios, participações ou relatórios, os professores são confrontados com as suas deficiências nessa área e com as limitações que elas acarretam em termos da qualidade e eficiência do seu discurso escrito. Por outro lado, há também muitos que se sentem inibidos quando têm de proferir um discurso oral, ainda que informal, fora das salas de aula, para um auditório pouco familiar. Constata-se, nestes momentos, que não são apenas os alunos que apresentam lacunas de expressão escrita e oral, limitações que tantas vezes lhes são, fundamentadamente, imputadas.

Este curso surge, pois, da necessidade de transmitir a todos os professores um conjunto de conhecimentos sistematizados sobre a Língua Portuguesa que lhes permita evitar os erros mais frequentes e encarar as expressões escrita e oral com mais naturalidade.

DESTINATÁRIOS

Professores de todos os grupos disciplinares e de todos os níveis de ensino interessados em melhorar os seus conhecimentos da Língua Portuguesa.

METODOLOGIA

Tendo em vista os objetivos propostos, procurar-se-á promover uma metodologia que valorize o trabalho a partir de problemas, apoiada na observação e recolha de dados, na elaboração de inferências, na construção de hipóteses, na testagem e treino, em detrimento da prática de memorização de regras e do ensino por definições.

Tal metodologia será concretizada quer através das intervenções do formador, orientadas pela sua experiência e pela sistematização dos conteúdos a abordar, quer através da valorização das vivências profissionais dos formandos.

Concretamente, em cada sessão haverá momentos para:

1º apresentação de aspetos problemáticos ou de exemplos críticos do uso da língua sobre os temas em estudo;

2º debate orientado sobre os problemas apresentados na momento anterior;

3º exercícios práticos sobre os temas debatidos anteriormente para aplicação dos conhecimentos adquiridos;

4º correção fundamentada dos exercícios práticos.

CONTEÚDOS

  1. Aspetos gerais da Língua Portuguesa (3 horas)
  2. Ortografia (4 horas)
    1. Grafia de algumas palavras
    1. Regras de acentuação
    1. Emprego do hífen
    1. Uso das maiúsculas
  3. Regras de pontuação (3 horas)
  4. Problemas de género e número dos nomes (3 horas)
  5. Dificuldades no uso e colocação dos pronomes átonos (3 horas)
  6. O verbo (3 horas)
    1. Problemas de conjugação
    1. Sintaxe do verbo haver
  7. Problemas de concordância nominal e verbal (4 horas)
  8. Avaliação final (2 horas)

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

A avaliação terá em conta os seguintes critérios:

– Assiduidade e pontualidade (10%);

– Participação no debate sobre os problemas lançados em cada sessão (20%);

– Resolução de exercícios escritos sobre os problemas lançados em cada sessão (30%);

– Contributos pessoais relevantes para a qualidade da formação (10%);

– Realização de um trabalho em grupo/par e sua apresentação (20%); – Reflexão final (10%).

nscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.