Iniciação à arte de contar histórias

24 Out

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO

Iniciação à arte de contar histórias

Data da Realização:

Dia 10 de novembro: das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

FORMADORAS

Ana Isabel Gonçalves e Paula Pina (responsáveis pelo projeto “Só Histórias” e autoras da Rubrica da Antena 2 “Palavras de Bolso”)

JUSTIFICAÇÃO

Tendo em conta a pretendida revalorização da prática de leitura em voz alta e da narração oral a que se tem vindo a assistir nos tempos mais recentes, cientes da importância destas áreas na formação plena dos alunos, pretende-se com esta sessão prática intensiva fazer uma reflexão sobre teorias e práticas relacionadas com a leitura, a leitura em voz alta e a narração oral, incidindo nas dimensões relacionadas com:
1. Centralidade da leitura e da narração para o desenvolvimento global da criança;
2. Compreensão da leitura e expressão oral;
3. As relações entre corpo, voz, gesto, movimento, interatividade e multissensorialidades: exercícios básicos de descoberta, treino e orientação expressiva;
4. Leitura em voz alta e narração oral – vetores técnicos, didáticos e cénicos;
5. Seleção de textos/obras – critérios, críticas e prazer;
6. Para o infinito e mais além: guia para viagens a territórios desconhecidos.

DESTINATÁRIOS

100;100.EE;110;110.EE;120;140;150;160;200;210;220;240;250;290.02;290.03;300;310;320;330 ;340;350;400;410;530;600;610;700.EE;D01;D02;M01;M02;M03;M04;M05;M06;M07;M08; M09;M10;M11;M12;M13;M14;M15;M16;M17;M18;M19;M20;M21;M22;M23;M24;M25;M26;M27; M28;M29;M30;M31;M32;M33;M34;M35;M36;M37;M38;M39;M40;M43;M44;M45;910.EE;9 20.EE;930.EE;900;910;990;991;

METODOLOGIA

Trabalho essencialmente prático após respetivo enquadramento teórico dos conceitos envolvidos.
Momentos de prática e de experimentação.

CONTEÚDOS

1. A centralidade da leitura e da narração para o desenvolvimento global da criança;
2. Compreensão leitora e expressão oral;
3. As relações entre corpo, voz, gesto, movimento, interatividade e multissensorialidades: exercícios básicos de descoberta, treino e orientação expressiva;
4. Leitura em voz alta e narração oral – vetores técnicos, didácticos e cénicos;
5.Textos/obras – critérios, críticas e prazer;

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-
Pedagógico da Formação Contínua.
«Excelente – de 9 a 10 valores;
Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;
Bom – de 6.5 a 7.9 valores;
Regular – de 5 a 6.4 valores;
Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

A avaliação será realizada da seguinte forma:
– participação ativa dos formandos, individual e em grupo, no decorrer da formação (60%);
– reflexão final (40%).

Inscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.