História do Sindicalismo, uma visão da história global – Inscrições

4 Jun

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO                         

História do Sindicalismo, uma visão da história global

FORMADORA

Historiadora Raquel Varela

JUSTIFICAÇÃO

É importante, para qualquer classe profissional, a consciência da importância que a força do seu trabalho tem na construção da sociedade em que se insere. Assim, é importante que a classe profissional docente tenha consciência que a história é feita também das lutas que levaram à construção da sua atividade profissional

Desta forma esta ação ancora-se na história global do trabalho e do sindicalismo.

A proposta de global labor history surge não como uma teoria mas como uma área de trabalho, cujo objetivo central é contrariar o nacionalismo metodológico e o eurocentrismo na historiografia do trabalho, que nesta formação ampliamos à historiografia do sindicalismo, compreendendo a evolução história do sindicalismo não só no sector industrial clássico, mas no sector dos serviços, na função pública e também tendo em conta o papel das mulheres, do trabalho precário, casual e a relação entre sindicalismo e modo de vida (familiar, pessoal e social). Cronologicamente a formação abarca os séculos XIX e XX.

 

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os grupos disciplinares

 

METODOLOGIA

Metodologicamente este curso vai ser acompanhado de análise crítica de testemunhos de época, em formato escrito e visual, e leitura de bibliografia especializada, que vai incorporar as novas investigações no campo da história global do trabalho

Estudo de casos concretos:

▪Sit-down strikes nos anos 30 nos EUA (visualização e análise da pintura mural e Diego Rivera O Homem Controlador do Universo);

▪Lisnave em Lisboa durante o Estado Novo (greves em ditadura, a luta pelos direitos sociais e democráticos);

▪Portuários de Liverpool (o papel da solidariedade internacional, leitura crítica de testemunhos dos grevistas);

▪A greve dos professores de Chicago (visualização de documentário, o papel das greves no sector público nos nossos dias);

▪A greve dos docentes no Brasil – o caso do ANDES e o Novo Sindicalismo (relação entre greves económicas e reivindicações políticas).

▪As greves ao longo da história: tipologia, formas, organização, evolução legal do direito à greve (Visualização de parte do filme As Vinha da Ira).

 

CONTEÚDOS

Plano de Formação

  • O nascimento do Sindicalismo: do cartismo inglês à concertação social na Europa.
  • Do Associativismo Mutualista aos Sindicatos: uma história da organização das classes trabalhadores e das suas organizações no Portugal. Evolução do direito ao trabalho em Portugal.
  • Evolução da morfologia do sector docente em Portugal no século XX: permanências e mudanças.
  • Formas de Resistência no período contemporâneo.
  • Organização de trabalhadores precários, casuais e/ou à jorna no Portugal contemporâneo.
  • Motivos das greves e dos protestos sociais. A «injustiça» e o seu papel na história das ações coletivas.

 

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

 

A avaliação será realizada da seguinte forma:

participação dos formandos e execução de trabalhos individuais/grupo realizados no decorrer das sessões.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.