Dependências sem substância – intervenção no meio escolar

12 Jun

FORMADORES

Rubina Nóbrega, Nazaré Freitas e Nelson Carvalho

CALENDARIZAÇÃO

2, 3 e 4 de julho: das 09h00 às 13h00;

5 de julho: das 09h30 às 12h30.

JUSTIFICAÇÃO

Atualmente, assiste-se a uma preocupante mudança de comportamentos dos jovens, que pode ter como consequência um problema de dependências mais ou menos generalizado, as quais não se limitam ao consumo de substâncias, alargando-se aos jogos e à internet em geral.

Estas dependências estão a ter consequências negativas nos nossos jovens tanto ao nível físico como psicológico, pondo em risco o seu saudável desenvolvimento.

Com esta formação, pretendemos dotar os docentes de conhecimentos que lhes permitam, no âmbito das suas competências, implementar junto dos alunos estratégias suscetíveis de desenvolver comportamentos saudáveis.

DESTINATÁRIOS

Docentes de todos os setores e grupos de recrutamento

METODOLOGIA

– Expositiva intercalada com o diálogo, com esclarecimento acerca dos conteúdos;

– Ativa: contacto direto, dinâmicas de grupo e debates.

CONTEÚDOS

– Dependências sem substância e comportamentos aditivos: jogo patológico (gambling), videojogos (gaming); internet.

– Desenvolvimento de competências pessoais e sociais em jovens.

– Metodologia de projeto.

– Projeto de intervenção.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

A avaliação será realizada com base nos seguintes critérios:

*participação: iniciativa, espírito crítico e integração no grupo (40%)

*execução de trabalhos ao longo da formação: qualidade dos trabalhos e adequação às temáticas (60%)

Inscrição online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.