Ensino do Português Língua Não Materna – Curso prático

1 Abr

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO

Ensino do Português Língua Não Materna – Curso prático     

Data da Realização

27 de abril – 4,11,18 e 25 de maio (sábados) – 9h00/14h00

– esta formação terá um total de 25 horas, que aguardam validação da DRE

FORMADORA

 Idalina Camacho

JUSTIFICAÇÃO

 Esta ação de formação resulta da presença, em contexto de salas de aula, de um número significativo e crescente de alunos de diversificadas origens, mas sobretudo provenientes da Venezuela, cuja língua materna não é o português e para os quais o desconhecimento ou domínio deficiente da língua portuguesa se apresenta como um enorme obstáculo à aquisição de conhecimentos e certificação num sistema de ensino ministrado em língua veicular portuguesa.

Nesta sequência, a presente ação visa contribuir para a capacitação de professores de Português em contextos de diversidade linguística e cultural, mais concretamente, no desenvolvimento de competências (investigativas, didáticas e pedagógicas) específicas de uma aula de Português Língua Não Materna, dado que a formação base dos docentes integrados no sistema regional de ensino não integra tradicionalmente a área do ensino da língua portuguesa como língua não materna.

DESTINATÁRIOS

 Docentes dos seguintes grupos: 10;110.EE;120;200;210;220;300;310;320;330;340;350;700.EE;

METODOLOGIA

Esta formação tem um cariz eminentemente prático, com o qual se pretende preparar os formandos para uma atuação eficaz em contexto de aula de PLNM.

A estrutura do curso assenta na sequenciação de módulos, alternando-se atividades de reflexão e de prática, repartidas pelas diversas modalidades de participação (trabalho autónomo e trabalho colaborativo).

A ação pretende articular formação em autonomia e formação colaborativa, de acordo com a seguinte distribuição:

– trabalho de formação individualizada e em autonomia (realização de leituras aconselhadas);

– trabalho de formação teórica colaborativa: discussão acerca das leituras efetuadas;

– realização de atividades práticas ilustrativas do trabalho a realizar em contexto de sala de aula. Esta formação tem um cariz eminentemente prático, com o qual se pretende preparar os formandos para uma atuação eficaz em contexto de aula de PLNM.

A estrutura do curso assenta na sequenciação de módulos, alternando-se atividades de reflexão e de prática, repartidas pelas diversas modalidades de participação (trabalho autónomo e trabalho colaborativo).

A ação pretende articular formação em autonomia e formação colaborativa, de acordo com a seguinte distribuição:

– trabalho de formação individualizada e em autonomia (realização de leituras aconselhadas);

– trabalho de formação teórica colaborativa: discussão acerca das leituras efetuadas;

– realização de atividades práticas ilustrativas do trabalho a realizar em contexto de sala de aula.

CONTEÚDOS

Os conteúdos da ação são os seguintes:

1. Conceitos e perfis linguísticos: Língua Materna vs Língua Não Materna (articulando-os aos conceitos de Língua Estrangeira, Língua Segunda e Língua de Herança): para uma definição dos perfis de aprendentes de PLNM.

2. Produtividade dos conceitos anteriormente elencados na investigação em Educação em Línguas, em geral, e no ensino do PLNM, em particular.

3. Competência Plurilingue e Intercultural: Interações e sinergias interlinguísticas no desenvolvimento da Competência Plurilingue e Intercultural.

4. Pressupostos de base psicossocial, linguística e didática da aula de PLNM: Conceito de imagem, representação social, estereótipo e outros termos relacionados (crença, opinião, papel e impacto das imagens socioculturais preconcebidas dos aprendentes de PLNM.

5. Política de Língua e Planeamento Linguístico: documentos orientadores.

6. Aquisição vs aprendizagem de uma Língua: aquisição implícita e/ou ensino explícito de conteúdos gramaticais: contributos para a discussão.

7. Áreas linguísticas críticas dos aprendentes de PLNM: transferência, interlíngua, fossilização, metacognição, …

8. Metodologias, conteúdos, materiais e tarefas a aplicar aos alunos (em situação de simulação ou em outras situações existentes no contexto de atuação pedagógica).

9. Modalidades e modelos de avaliação das diferentes componentes da aprendizagem em PLNM.

 

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua.

«Excelente – de 9 a 10 valores;

Muito Bom – de 8 a 8.9 valores;

Bom – de 6.5 a 7.9 valores;

Regular – de 5 a 6.4 valores;

Insuficiente – de 1 a 4.9 valores.»

A avaliação será realizada com base nos seguintes critérios:

*participação: iniciativa, espírito crítico e integração no grupo (20%)

*execução de trabalhos ao longo da formação: qualidade dos trabalhos e adequação às temáticas (40%)

*trabalho individual final: qualidade do trabalho, espírito crítico e adequação às temáticas (40%).A avaliação será realizada com base nos seguintes critérios:

*participação: iniciativa, espírito crítico e integração no grupo (40%)

*execução de trabalhos ao longo da formação: qualidade dos trabalhos e adequação às temáticas (40%)

*trabalho individual final: qualidade do trabalho, espírito crítico e adequação às temáticas (20%).

Inscrições online aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.